Translate

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Encontros e Despedidas


                                                                                     Milton Nascimento

Mande notícias do mundo de lá
Diz quem fica
Me dê um abraço
Venha me apertar
Tô chegando

Coisa que gosto
É poder partir
Sem ter plano
Melhor ainda
É poder voltar
Quando quero

Todos os dias
É um vai-e-vem
A vida se repete
Na estação
Tem gente que chega
Prá ficar
Tem gente que vai
Pra nunca mais
Tem gente que vem
 E quer voltar

Tem gente que vai
E  quer ficar
Tem gente que veio
Só olhar
Tem gente a sorrir
E a chorar

E assim chegar
E partir
São só dois lados da mesma viagem
O trem que chega
É o mesmo trem da partida

A hora do encontro
É também despedida
A plataforma desta estação

É a vida desse meu lugar
É a vida desse meu lugar
É a vida


Nota: Podemos dividir o texto Encontro de despedidas em duas partes.
1ª parte (do 1º ao 11º verso) – o sujeito fala de si mesmo em relação aos encontros/despedidas.
2ª parte (do 12º verso em diante) – o sujeito lírico faz reflexões gerais  sobre os encontros/despedidas, observando o movimento de uma estação.
Trata-se de um texto em verso (poema cantado).
Quanto ao assunto, fala de viagens e da emoção do reencontro. O texto focaliza os movimentos de vaivém, identificando os encontros e as despedidas como duas faces de uma mesma moeda. E com relação  ao ambiente, está presente a estação. [Maria Paiva Corá]







Um comentário:

  1. "E assim chegar e partir
    São só dois lados
    Da mesma viagem
    O trem que chega
    É o mesmo trem da partida
    A hora do encontro
    É também despedida"

    Talvez seja mesmo assim... abraço na partida, abraço na chegada!

    ResponderExcluir